Biblioteca Nacional lança manuscrito original de Nelson Werneck Sodré

quarta-feira, 15 de abril de 2015.
Notícia
Graciliano Ramos, José Lins do Rego, literatura brasileira, Nelson Werneck Sodré, editoração
Em 1996, três anos antes de falecer, o ensaísta, crítico, historiador e memorialista Nelson Werneck Sodré, autor de mais de 50 livros, entre eles, os clássicos História da literatura brasileira e História da imprensa no Brasil, doou à Biblioteca Nacional seu acervo pessoal. O arquivo foi catalogado e guardado no setor de Manuscritos. Entre as joias contidas na coleção, estavam os ensaios inéditos escritos por Sodré sobre os mestres da literatura nordestina José Lins do Rêgo e Graciliano Ramos.

cobertura-1183-biblioteca-nacional-lanca-manuscrito-original.jpg

Capa do livro O pós-modernismo, de autoria de Nelson Werneck Sodré sobre as obras de José Lins do Rego e de Graciliano Ramos.
Capa do livro O pós-modernismo, de autoria de Nelson Werneck Sodré sobre as obras de José Lins do Rego e de Graciliano Ramos.

Em 2010, ao consultar os levantamentos de coleções feitos pelos setores da Biblioteca Nacional, Pedro Lapera, pesquisador do Centro de Pesquisa e Editoração da Biblioteca Nacional, não acreditou no “tesouro” encontrado. Após uma consulta com Luitgarde Cavalcante, professora e pesquisadora especializada na obra de Sodré, Pedro confirmou que os manuscritos se tratavam realmente de uma obra inédita do autor. E assim nasceu “O pós-modernismo: José Lins do Rego e Graciliano”, lançado como parte da coleção Cadernos da Biblioteca Nacional.

Sodré, um ávido leitor e admirador das obras de José Lins do Rêgo e de Graciliano Ramos, deixara um original com conteúdo bem cuidado, pronto para ser transformado em livro. “O autor revisou várias vezes o texto, o que pode ser comprovado pelas anotações a lápis e a caneta nas cores azul e preta”, relata Pedro Lapera, que também assina a apresentação do livro.

Sodré conheceu pessoalmente os autores que admirava e criticava. Por isso, relata também suas experiências pessoais, como as práticas intelectuais, as filiações literárias e as aproximações com ambos. “Um dos aspectos mais marcantes no texto é a coragem de Sodré para posicionar-se, deixar claro para o leitor seus pontos de vista, de um modo direto e franco”, conta Lapera.

A decisão de publicar a crítica de Nelson Werneck Sodré sobre a obra de dois grandes escritores brasileiros, além de divulgar mais um trabalho de pesquisa e reflexão do renomado historiador Nelson Werneck Sodré, é mais uma ação a valorizar as peças do acervo e incentivar a pesquisa e a divulgação das coleções da Fundação Biblioteca Nacional.

O consagrado escritor e jornalista pernambucano, José Lins do Rego, nasceu em 1901 e faleceu em 1957, tendo publicado mais de uma dezena de romances, como Menino de engenho, Fogo morto, Usina e Riacho doce; já o alagoano Graciliano Ramos, nascido em 1892 e morto em 1953, deixou títulos como Vidas secas, São BernardoMemórias do cárcere.